quinta-feira, julho 26, 2007


Maíra

P/ minha caçula Maíra

Sem devaneios te busco ansiosa,
norteio direções com precisão.
Minha pequena pedra preciosa,
sua ausência causa indecisão.

Toda meiguice no olhar,
altivez sempre no caminhar.
Estrelas que reluz do firmamento,
entoam canção de lamento!

Onde andarás agora,
minha doce menina?
Ouço um sussuro lá fora.

Venhas estou aqui,
meu ventre te grita.
Maíra,ser que modifica!



Sandrah

Um comentário:

mazinha disse...

Mãããe!!!
muito obrigada por me detalhar em versos, tão certos confesso q amei...
muito obrigada
te amO!
beijo da caçula