quarta-feira, agosto 08, 2007

Anjo sem crença




À noite me chama

Poeta sem rumo

Na obscuridade

da minha loucura

Afundo-me!

Você surge do nada

Anjo sem crença

Dor regada a amor

Mesmo machucada

Em suas asas me ampara!

Sua estranha forma de amar

Mostra-me Beleza roubada

Por cicatrizes marcadas

No corpo Na pele Na alma!

Reflete sofrimento

Não entende o verdadeiro amar!

Não quer mais voar

Ao meu modo lhe amparo

Suas feridas tento curar

Um verdadeiro amor vou lhe mostrar

Anjo sem crença

Alma calada

Coração congelado

Sua fé é minha esperança

Ao seu lado quero seguir

Um novo caminho tentar descobrir

Enalteça o amor

E comigo sem medo venha voar.


Autor:EduardoPraia Grande SP

Um comentário:

Edu disse...

Obrigado pela oportunidade de mostrar o meu trabalho mediante a outros de tamanha beleza!!!!