domingo, junho 01, 2008

Afasto


Queria te fazer um poema,

alegre,maroto,

mesmo que torto.

Engasgo e nada sai,

mas ainda busco seu corpo.



Solidão afasta,arrasta,

deixa exaustão de espera.

Sangrando me afasto,

e ...tudo já era!


Sandra Almeida



Nenhum comentário: